Mentoria em comunicação e marketing digital para pequenos empreendimentos sociais

Data

Desde o início da pandemia do covid-19, o SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) tem conduzido uma pesquisa periódica com empresários para investigar e monitorar os impactos desse evento nos pequenos negócios. Até o momento do fechamento deste artigo, o SEBRAE havia realizado nove edições desta pesquisa. Portanto, os dados encontrados abrangem diferentes momentos da pandemia, e refletem a situação dos pequenos negócios desde os primeiros impactos das medidas de distanciamento social até um cenário mais flexível, com a volta de algumas atividades presenciais. 

Analisando os resultados das diferentes edições, é possível entender que os primeiros meses da pandemia, com o início das medidas de distanciamento social, foram catastróficos para os pequenos negócios no Brasil. Segundo uma entrevista do economista Gabriel Pinto para o Jornal da Manhã da Jovem Pan em 30 de Abril de 2020, isso pode ser explicado porque o distanciamento social exigiu que as empresas transferissem suas atividades, produtos e serviços para o meio digital – uma exigência particularmente difícil para o Brasil, já que o país não tinha uma economia preparada para a demanda digital. Outros países como a Coréia do Sul, por exemplo, não apresentaram as mesmas dificuldades de adaptação dos negócios para o digital, visto que somente 22% das funções de trabalho do país ainda precisavam passar pelo processo de transformação digital. No caso do Brasil, o número era de 60%.

Ainda a partir da análise das pesquisas do SEBRAE, segundo os empresários entrevistados, os números dos pequenos negócios começaram a melhorar devido às alterações bem-sucedidas nas formas de operação das empresas, à inserção de opções inovadoras no seu catálogo de produtos e serviços, à qualificação de profissionais para as novas demandas e ao uso da internet para vender produtos e serviços. Em relação ao último ponto, vimos um aumento significativo na quantidade de empreendimentos que usam os meios digitais com objetivo de vendas no decorrer do estudo: na quarta edição, já eram 59% das empresas aderindo à modalidade e na nona edição o número alcançou 70% (SEBRAE, Observatório MPE, 12 de janeiro de 2021).

A partir desses dados, agências de publicidade e profissionais de comunicação encontraram um mercado favorável para trabalhar com as demandas de comunicação e marketing digital. Mas por vezes esses serviços são muito custosos para os pequenos empreendimentos, principalmente em situação de orçamento reduzido e necessidade de contenção de despesas durante a pandemia. Além disso, para empreendimentos que não têm um departamento de comunicação bem estruturado ou um profissional interno capacitado e responsável pela comunicação e marketing digital da empresa, a tendência é que a terceirização da totalidade das atividades de comunicação e marketing digital sejam pouco ou nada personalizadas, impactando negativamente o retorno sobre o investimento e também a continuidade das estratégias de comunicação a longo prazo.

Pensando nisso, profissionais de comunicação autônomos idealizaram o Projeto Nox, que busca ajudar pequenos empreendimentos sociais a desenharem estratégias de comunicação e marketing digital personalizadas e duradouras por meio de um processo de mentoria remoto, de baixo investimento. Empresários individuais e pequenos empreendimentos de caráter socioambiental podem manifestar interesse pelo formulário do site e, se selecionados, participar do processo de mentoria de período inicial de três meses. 

Os encontros entre os representantes do Projeto e do empreendimento em questão passam por quatro etapas principais: diagnóstico da presença digital do negócio, planejamento em comunicação e marketing digital, execução das novas estratégias e monitoramento. Além disso, o Projeto traz o diferencial de focar na coprodução e comercialização de produtos digitais durante o processo, para que os empreendimentos finalizem a experiência podendo arrecadar dinheiro pela internet de forma constante para reinvesti-lo na sua comunicação de longo prazo.

O Projeto Nox está recebendo suporte da instituição parceira norte-americana East-West Center, através do programa “Innovation for Sustainable Development Fellows”. Por meio deste programa, o instituto apoia projetos de inovação que visam trabalhar os Objetivos de Desenvolvimentos Sustentável da ONU (ODS) nas suas comunidades e abrange países da Ásia e das Américas. Dessa forma, o Projeto Nox está comprometido com a Agenda 2030, buscando contribuir para o desenvolvimento do Brasil principalmente em relação aos ODS 8 (Trabalho Decente e Crescimento Econômico), 9 (Indústria, Inovação e Infraestrutura) e 17 (Parcerias e Meios de Implementação), inserindo no mercado um processo de colaboração em atividades de comunicação e marketing digital que auxiliar empreendimentos responsáveis socialmente a levarem conhecimento relevante e confiável para o maior número de pessoas, fortalecendo também seus próprios negócios.

Para saber mais sobre o projeto, ter acesso aos critérios de participação e ficar por dentro dos avanços das instituições participantes, acesse o site ou envie um e-mail para [email protected]

pt_BRPT_BR